...

"Todo sonho é uma derrota em potencial. Para não o realizar, basta manter-se parado. - Argus Caruso Saturnino"

quinta-feira, 10 de março de 2011

Pedal São Vicente - Ribeirão Pires

Desculpem pela demora para editar e postar esse relato, pois estive muito ocupado com o serviço e o pouco tempo disponível acabei utilizando para resolver os problemas do blog.


Estrada de Manutenção e Xiboca

26/12/2010


Final de ano, festas, confraternizações,  muita correria as para compras de Natal,  para os preparativos para o Ano-Novo e muito serviço também! Com tudo isso consegui arrumar um dia para fazer um passeio de bike, no domingo dia 26/12  um dia após o Natal, e não desperdicei a oportunidade.
 
Foto da janela da sala do meu apartamento.

Então as 06h da manhã já estava de pé para iniciar o passeio, saí rumo a Rodovia dos Imigrantes...


Rod. dos Imigrantes, ponte sobre o Rio Casqueiro.

Viaduto estaiado.

Meu destino inicial era chegar a Paranapiacaba, e depois conforme o tempo disponível, poderia ir mais longe ou simplesmente escolheria o melhor opção para retornar para casa.

Mas para chegar a Paranapiacaba, o meu primeiro obstáculo seria subir a Estrada de Manutenção, feito que realizei a alguns meses atrás...
 http://cicloturismobaixada.blogspot.com/2010/09/estrada-de-manutencao-da-imigrantes.html
Mas desta vez resolvi acessar a Estrada de Manutenção de outra maneira, resolvi seguir direto pela pista de subida da Imigrantes até a balança no início da serra, passando pelo posto da Polícia Rodoviária, conforme a dica do meu amigo Jorge (Jgur).

Rod. dos Imigrantes, próximo a Rod. Padre Manuel da Nóbrega.

Ao passar pelo posto da Polícia Rodoviária, o mesmo encontravas-se fechado e sem nenhuma viatura ou policial fora do mesmo, então segui pedalando numa boa, mesmo com a existência de uma placa proibindo o transito de bicicletas nesse trecho.


O tímido nascer do Sol atrás de muitas nuvens.

Rod. Padre Manuel da Nóbrega, vista da Rod. dos Imigrantes.

Digital informando que restavam 2 km para a balança ou posto de pesagem.


Viaduto da Imigrantes sobre o Rio Pilões.

Quando cheguei no viaduto da Imigrantes que fica sobre o Rio Pilões, não teve como não parar por alguns minutos, para tirar fotos e admirar a vista que é impressionante!!!

Foto (18/11/2007)
Foto (18/11/2007)
O que impressiona é a altura do viaduto, é alto pra caramba!!! Eu já estive em baixo do mesmo, tomando banho de rio, no passeio para o Rio Pilões que fiz em conjunto com Roger, e já achava muito alto, mas estando em cima, a impressão é que é mais alto do que pensava.
http://cicloturismobaixada.blogspot.com/2010/07/pedal-rio-piloes-cubatao.html


Pista descendente da Rod. dos Imigrantes que passa em baixo da pista ascendente.

Posto de pesagem e minha saída da Rod. dos Imigrantes para acessar a Estrada de Manutenção.

Placa do Parque Estadual da Serra do Mar, no posto de pesagem.
Acesso a Estrada de Manutenção no posto de pesagem.
E lá estava eu de volta ao início da subida da Estrada de Manutenção, cercado de uma vegetação com um verde exuberante e dos viadutos da imigrantes ao fundo.
Viaduto da Via Anchieta no alto da serra.

Fui subindo a Manú sem pressa, devagar e sempre...



Parando várias vezes para bater fotos e admirar as vistas...



Que se intercalavam, ora vistas paranorâmicas de cair o queixo, com vistas da serra, de vales, rios e dos enormes viadutos cortando a Serra do Mar...


E alguns trechos de isolação, cercado de verde por todos os lados, e com a presença de vários pássaros, lagartos e até de um cervo, que assim que notou a minha presença tratou de se esconder em meio a mata, não dando tempo de bater um foto do mesmo.



Mais fotos dos enormes viadutos da Rodovia dos Imigrantes.

Foto da Cachoeira, no local e após passar pela mesma, continuando a subida da Manú...



Que ainda me reservava belas vistas panorâmicas.

Túnel que leva ao meio do túnel da pista descente (nova) da Imigrantes.

Cheguei ao mesmo na hora certa, pois meu suprimento de água tinha terminado alguns minutos antes, e com o forte calor que fazia, já sentia muita sede. Então bebi bastante água, abasteci as caramanholas e molhei a camisa para me refrescar, antes de voltar a subir a serra.




Ultimas vistas da Imigrantes antes de terminar a subida da serra...


Sem contar com uma forte ladeira antes de chegar a essa rotatória, onde fiz um lanche e fiz meia volta no pedal que fiz em 2010...
http://cicloturismobaixada.blogspot.com/2010/09/estrada-de-manutencao-da-imigrantes.html


Mas desta vez segui adiante pela Manú e fui até o fim...

Saindo na Rod. dos Imigrantes a 2 km do Rancho da Pamonha, onde fiz uma pequena pausa para tomar açaí batido com leite e esticar um pouco as pernas.

Após alguns minutos de descanso, lá estava eu de novo na estrada, segui pela interligação, sentido Via Anchieta.


Via Anchieta vista de cima de viaduto da alça de acesso da Interligação.

Via Anchieta, sentido São Paulo.

Canal que corta a Via Anchieta antes do acesso...



A Estrada do Xiboca, meu atalho para o Caminho do Mar.


E que atalho!!!

Não acreditava que estaria um verdadeiro atoleiro, mesmo com o aviso do Júnior Garcia (visitante do blog), que me alertou semanas antes sobre o estado da trilha do gasoduto "etilenoduto", que vai para Paranapiacaba, devido as fortes e frequêntes chuvas e as máquinas pesadas que estão trabalhando na troca das tubulações do gasoduto.



Cada vez ficava pior, mas como eram apenas 2 km para chegar ao Caminho do Mar, e já estava no meio do atoleiro, resolvi continuar em diante.




Em meio a lama, seguindo com paciência e calma, devagar e sempre.



E cheguei a esse trecho onde a estradinha está em boas condições e achei que a lama já tinha terminado...


Mas ela apareceu novamente neste pequeno trecho...


Não voltando mais graças a Deus!


Hortências a beira da Estrada do Xiboca.

E que Xiboca foi essa estrada ou atalho que resolvi tomar, quase tomei na Xiboca, rsrs

Fim da Xiboca e enfim o Caminho do Mar, onde resolvi procurar um lugar para limpar a minha bike.


E encontrei este pesque pague, onde me liberam gentilmente uma mangueira, onde pude retirar o excesso de lama e barro da bike e do meus tênis.

Ia até fazer um lanche por lá mesmo para compensar a gentileza, mas infelizmente eles não estavam servindo lanche naquele dia.



Então resolvi seguir rumo ao Bar da Lú, para fazer um lanche e também me informar sobre as condições que estavam a trilha do gasoduto para Paranapiacaba, meu principal objetivo deste passeio.

E segundo alguns pessoas que praticam motocross, a trilha estava intransitável para motos e até jipes 4x4, e que seria a maior roubada seguir pela mesma.

O Bar da Lú foi o início e o termino do pedal que fiz em compania do Roger, para a Vila de Paranapiacaba em Maio de 2007


Então resolvi seguir pelo Caminho do Mar...


Cortando as águas da Represa Billings...

Saindo na Rodovia Índio Tibiriçá



Rumo a Ribeirão Pires e ao acesso a rodovia que leva a Vila de Paranapiacaba...

Que estava bem perto, apenas 22 km.






Mas chegando próximo ao acesso para Paranapiacaba o tempo fechou e começou a chover.

Mudando os meus planos, para seguir até Ribeirão Pires.


Onde retornaria para casa de ônibus, mas ao chegar na rodoviária, descobri que teria que aguardar por 3 horas para o próximo ônibus para o litoral.

Então acabei fazendo um pequeno tour pela cidade, mesmo com a chuva que insistia em cair.

Estação Ferroviária de Ribeirão Pires.



Mirante São José que estava fechado, tanto trabalho para subir o morro pedalando para nada!

Só restou esta vista em meio a vegetação, durante a descida do morro.

Estátua no Mirante São José, vista de baixo do morro.


Belo centro comercial "Vila dos Doces" com decorações de Natal.

Cansado de tanto tomar chuva, resolvi voltar a estação rodoviária e esperar sentado pelo ônibus, cheguei até a coxilar, de tanto esperar!!! Ainda mais que o ônibus das 18:30 atrasou e só saiu da Rodoviária as 19h.

Bike pronta para entrar no bagageiro do ônibus, após horas de pedal e mais algumas horas de espera na rodoviária.

Cheguei na rodoviária de São Vicente por volta das 20:30, segui pedalando até em casa por pouco mais de 3 km, cansado pelo esforço de subir a Serra do Mar, por vencer o atoleiro da Estrada da Xiboca e pelas horas de espera na rodoviária de Ribeirão Pires, mas muito animado para ter uma nova oportunidade de dar continuidade a esse passeio.
Mapa do Passeio:



Números /finais:

                                          - 82 km de pedal
                                          - Tempo total: 14h 30 min
                                          - 1h 30 min de ônibus (volta)
                                          - Custo total: R$ 38,50 (lanches e passagem de ônibus)

Baixas: Nenhuma




3 comentários:

  1. Cara, show de pedal!!! parabens...

    abraço

    ResponderExcluir
  2. Muito bom esse passeio Vini,agora que entendi que"xiboca"era o atoleiro,pensava que era comida!hehehe!!!
    Uma dúvida:na subida da Imigrantes e do trecho da Anchieta,nenhum veículo da Ecovias de abordou ou passou por você?

    Abs
    Carlos sp

    ResponderExcluir
  3. Loureiro obrigado pela visita e pelo comentário, dei uma conferida no seu blog e já add a lista de blog e sites relacionados a bike e cicloturismo aqui no blog.

    Tony Carlos obrigado pela visita...

    Xiboca é o nome do Restaurante próximo ao Caminho do Mar, e que fica ao lado dessa estradinha de terra que estava um verdadeiro atoleiro, e que deve ter dado o nome a estradinha que vai da Via Anchieta ao Caminho do Mar.
    Na Imigrantes, Estrada de Manutenção, interligação e Anchieta passei por viaturas da Ecovias (Estrada de Manutenção) e Polícia Rodoviária (Imigrantes e Anchieta) e não fui abordado por nenhuma vez.

    ResponderExcluir