...

"Todo sonho é uma derrota em potencial. Para não o realizar, basta manter-se parado. - Argus Caruso Saturnino"

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Roça Nova, Piraquara - PR

São José dos Pinhais a Roça Velha - Piraquara
31/12/2011

Véspera de ano novo, e quem diria que iria fazer um pedal de encerramento de ano, que diga-se de passagem foi excelente...

Pois fiz vários passeios de bike, conheci novos amigos e parceiros de pedal, realizei o sonho de participar de um brevet Audax e também da Rota Márcia Prado.


No dia anterior tinha combinado com os meus amigos Juarez e Vinícios, que iríamos descer a Serra do Mar pela Estrada da Graciosa e provavelmente subiríamos de volta São José dos Pinhais pela BR-277. Eles até deram uma revisão nas bikes para o dia seguinte.

Porém no início da noite começou a chover, o que me deixou meio desanimado em descer a Graciosa, pois nestas condições o trecho de paralelepípedos ficam muito escorregadios e propício a tombos. Cheguei a ligar para Juarez para saber se ele ainda queria fazer o passeio, mesmo com chuva...

Para a minha surpresa ele confirmou que sim, e se mostrou muito motivado a ir, mesmo com chuva. Então confirmei que iria passar na sua casa as 6h da manhã, de onde sairíamos para o nosso passeio.

Então no dia seguinte no horário combinado, lá estava eu na casa dos meus amigos, fui atendido pelo Juarez que estava com muito sono, pois só conseguiu dormir lá pelas 3h da madrugada...
Conversamos rapidamente, e combinamos que ele dormiria mais um pouco, enquanto ficaria encarregado de elaborar um novo roteiro para o nosso pedal, pois já não seria possível fazer um pedal tão longo como desejávamos.

Antes do Juarez voltar a dormir, ele sugeriu irmos para os lados de Borda do Campo, onde fica a fábrica da Renault. Então lembrei do excelente site do "O Dois Expedição - Cicloturismo", do Lulis, um amigo cibernético que ainda não tive o prazer de pedalar junto...

odois.org

O O² Expedição é, em essência, um grupo de amigos que têm uma paixão comum: o cicloturismo. E cicloturismo puro, bruto, sem maquiagem, feito na raça, mas bem humorado e companheiresco. O que buscamos ao pedalar assim? Quais são os limites que atingimos? De onde viemos e para onde vamos? Quantas piadas graúdas cabem em um passeio médio? Nunca nos respondemos satisfatoriamente, e no entanto não deixamos de seguir pedalando como e quando podemos - ou mesmo quando não podemos...



E fuçando o grande arquivo de expedições realizadas pelo O Dois, achei o relato sobre o pedal que eles fizeram a Roça Nova, onde foram até um túnel abandonado da Estrada de Ferro Curitiba-Paranaguá.

Então resolvi fazer um roteiro contemplando o pedido do Juarez, passando por Borda do Campo e seguindo mais adiante, até chegar ao mesmo lugar que o O Dois visitou, mas por um caminho diferente. 


O Roteiro incluía muitas estradinhas de terra e passagem pela Colônia Murici, Caminho do Vinho, Borda do Campo e pelo Caminho Trentino.



Roteiro definido e estudado, foi só esperar o Juarez acordar do segundo sono...

Por volta das 9h da manhã, finalmente estávamos saindo de São Marcos para o nosso pedal.


Vinícios e Juarez no inicio do nosso pedal.


Estradinha de terra cercadas por araucárias.


Juarez e Vinícios (Pai e filho)... 
Grandes amigos meus e companheiros de pedal quando vou para a região de Curitiba.


Chegando a Colônia Murici.




Na santa, seguimos para a esquerda, sentido Caminho do Vinho.


Paisagens rurais, bois...

Plantações e ao fundo São Marcos, onde iniciamos o pedal.


Bela propriedade ao lado da via.


Em algum lugar próximo a Colônia Mergulhão...

Seguindo para a Borda do Campo.



Ainda no Caminho do Vinho.


Ponto de captação de água da Sanepar.






Igreja da Colônia Acioli.

Logo após a Colônia Acioli, chegamos ao Bairro da Borda do Campo, onde fizemos uma pequena parada na casa de parentes do Juarez e do Vinícios, e aproveitamos para encher as garrafas d'água e comermos umas bananas.

Logo após essa pequena pausa, começou uma chuva um pouco mais forte e acabamos parando para nos abrigar por mais alguns minutos, até que a mesma virou um chuvisco fraco e resolvemos seguir adiante...


Atravessamos a BR-277...

E acessamos o belo Caminho Trentino...

Com várias propriedades rurais e casas as sua margem, muitas com sinalização indicando a venda de produtos naturais e artesanais.

No início pegamos asfalto...

Mas ao chegar neste local, tinha uma bifurcação...

Onde o nosso caminho era seguir pela estradinha de terra...

Que nos levou a primeira visão desta barragem em Piraquara...




Que volta e meia podia ser vista ao fundo...


Pequena pausa ao lado do velho e esquecido Cemitério Assunção (1880).


Nesta pausa o Vinícios e o Juarez resolveram mostrar outros dons, como escalar árvores.


E como não podia ser diferente, nosso caminho tivemos várias subidas e descidas pelo caminho, alternando em mais ou menos suaves... Mas todas vencidas tranquilamente por nós.

Escultura na Colônia Santa Maria ou se preferir...
Colônia Imperial Santa Maria do Novo Tirol da Boca da Serra, fundada em 1878.


Igreja Nossa Senhora de Assunção, ao lado da escultura de pedra da Colônia Santa Maria.



Novamente estávamos cruzando a barragem.


Que isso chará! Onde você vai???

Logo após a barragem passamos por um vilarejo, onde chegamos a entrar no caminho errado, mas aproveitamos para parar numa vendinha para comprar uns biscoitos e pedimos informação sobre o caminho para a Roça Nova.


Com a informação correta, seguimos pedalando e logo chegamos...

Subida bem inclinada, onde os meus amigos resolveram empurrar as bikes...

Enquanto segui girando, girando e girando os pedais até o topo da subida.

E após essa forte subida, veio uma longa descida que acredito ter quase dois quilômetros de extensão e uns 150m de desnível, foi um downhill muito legal! 

Fui o primeiro a terminar a descida, logo após o meu chará e um pouco depois o Juarez que foi mais cuidadoso na descida.

Essa longa descida nos levou ao vilarejo da Roça Velha, onde avistamos a ferrovia...

E a estação Roça Velha.

Ao lado da mesma tinha uma pessoa roçando o mato, e puxamos assunto e aproveitamos para perguntar do lugar e sobre o caminho que poderíamos fazer de volta, pois não estava com vontade de voltar pelo mesmo caminho, ainda mais que a longa descida final se tornaria a longa subida no início do caminho de volta!

E para a nossa sorte, ele nos disse que tinha outra opção para sairmos da Roça Nova e que estávamos  a menos de 7 km do centro de Piraquara, de onde poderíamos seguir de volta a São Marcos pelo Contorno Leste.

Com as informações, resolvemos dar uma olhada nos arredores da estação.

Estrutura da pedreira abandona que fica ao lado da ferrovia, aqui era onde eram carregadas as pedras nos vagões.

Em cima dessa estrutura tinha uns dois caras bem chatos!!!  Eles ficavam jogando bombas para baixo, e por algumas vezes tomamos sustos... Tá certo que era véspera de ano novo, mas eles poderiam jogar as bombas numa direção oposta a nossa.

Fomos até próximo ao túnel abandonado, que fica ao lado do túnel que esta sendo utilizado pela ferrovia.
O túnel antigo estava cercado, pois segundo o rapaz que estava capinando, ele vai virar uma espécie de adega, a estação que estava com a reformada quase pronta, e segundo o mesmo até levaram um piano para lá, vai ser um restaurante ou um bar, atrás da estação tem um vagão de Litorina que também foi reformado, e parece que vai ser uma casa de chá...


Segundo o rapaz a estação e o seus arredores foram arrendados para uma pessoa, que está reformando tudo para virar uma atração turística.

Após alguns minutos admirando o local resolvemos iniciar a volta, pois já estava ficando tarde e ainda tínhamos os preparativos para a virada de ano.

Caminho para o centro de Piraquara.

Deixando a Roça Nova para trás, pena que não tivemos tempo suficiente para explorar melhor.

As imponentes araucárias se sobressaem na paisagem, gosto muito dessas árvores e da paisagem encontrada no Paraná.



E não demorou muito e deixamos a estradinha de terra e chegamos a um bairro na periferia de Piraquara, onde encontramos um mini mercado aberto e conseguimos finalmente comprar uns pães, queijo e presunto para matar a nossa fome! Tudo isso acompanhado de uma Coca-Cola geladaaaaa! 

Esse lanche veio na hora certa, pois já estávamos ficando meio desanimados, foi muito bom para dar um animo e um gás a mais para retornarmos para a casa do Juarez e do Vinícios. 

Centro de Piraquara.


Saindo de Piraquara, para entrar no...

Contorno Leste, rumo a São José dos Pinhais, onde tivemos um acostamento bom para pedalar, algumas subidas e descidas, mas bem mais suaves que as das estradinhas de terra que passamos na ida.

Passando por cima da BR-376...

Opa nossa saída do Contorno...

Para a BR-376 a caminho para São Marcos.

Só que antes de chegarmos, ainda tinha essa longa subida.

Força Vinícios tá quase no fim do passeio.


Após a longa subida, onde pensei que sofreria muito mais para subi-la, finalmente uma longa descida e o bairro de São Marcos ao fundo.

E assim chegava ao fim o nosso pedal de despedida de 2011!

Mapa do passeio:


Números do Passeio:

Total Pedalado:           73 km
Subida acumulada:     1140m
Tempo Total:               8 h 30 min.
Gasto:                           menos de R$ 15,00